sábado, 19 de setembro de 2009

Falando novamente de nomes


Volta e meia surgem e-mails com relação de nomes curiosos. Para quem trabalha em grandes empresas com milhares de funcionários é fácil achar nomes curiosos, e os apelidos que surgem para resolver como chamar a pessoa.
Assim a Gilcicleide vira Gil , o Florisvaldo vira gaúcho e por aí vai.
Estava em Salvador, em loja da empresa situada no Pelourinho, para conduzir processo de homologação e certificação de software de automação de lojas, cumprindo norma estabelecida pela Secretaria de Fazenda do Estado.
Havia agendado a homologação com a fundação universitária encarregada pela Secretaria , que confirmou o envio de um consultor na data e hora agendadas.
Assim estava na loja , na porta , quando o consultor chegou :
- Bom dia , sou o consultor Júnior , estou procurando o Sr Ely Barbosa .
- Bom dia , sou eu , o estava aguardando. Seu nome é ?
- Júnior .
Na hora ainda pensei que podia ser Senior mas guardei a brincadeira .
Durante o processo de homologação esbarramos em um ponto.
O roteiro que o consultor seguia marcava uma determinada tarefa como obrigatória, ao passo que a portaria editada pela Secretaria de Fazenda a destacava como facultativa , podendo o varejista não a atender desde que se enquadrasse em determinada condição, caso da empresa onde trabalhava.
Para tirar a dúvida o consultor propôs que telefonasse para seu coordenador, professor da fundação que havia preparado o roteiro.
Fique a vontade, disse-lhe.
Retornou em seguida, o professor estava em horário de almoço, sugeriu que também parássemos a atividade de homologação até que o professor retornasse a ligação feita.
Assim fizemos e passados alguns minutos de nossa volta a recepcionista da loja me avisou que uma pessoa me procurava ao telefone .
- Alô , Boa tarde, é Ely Barbosa....
- Boa tarde , quem fala é o Professor Castanheira , o consultor Astroverando Quilomba está com o Sr ?
- Perdoe-me , Quem ?
- O Consultor da Fundação , Astroverando .....
- Peço novamente desculpas mas quem está aqui se apresentou como Júnior .
- É ele mesmo , o senhor podia chamá-lo por favor , vou instruí-lo sobre o roteiro de homologação .
Entendi de imediato porque o rapaz havia se apresentado como Júnior.
Fiquei calado e fui chamá-lo .
A homologação correu muito bem até o fim .