terça-feira, 31 de outubro de 2017

Rosas do deserto ou as flores de plástico não morrem

Este caso quem me enviou foi novamente Patrizia Meira, grande amiga que meus cães me fizeram encontrar.
Patrizia tem outras paixões além dos cães, uma delas são flores e plantas .
Paixão que herdou da mãe.
Suas orquídeas por exemplo são lindas, graças a seus cuidados.
Pois Patrízia recebia amiga que ao examinar seu jardim mencionou como estavam lindas as rosas do deserto naquele canteiro..
Disse-lhe que não dava sorte, todas as que tinha tentado plantar morreram .
Patrizia começou a explicar os cuidados necessários com a terra, poda, até que dúvida lhe veio a cabeça.
Era simples demais mas resolveu perguntar :
- Você molha suas plantas ?
A resposta a derrubou .
- Mas precisa, não são rosas do deserto ?
Patrizia encerrou com argumento fulminante :
- Olhe, as únicas plantas que não precisam de água são as de plástico .

sábado, 14 de outubro de 2017

Casos Médicos


Lidar com pacientes dá origem a muitas experiências curiosas para muitos médicos .
Como o ocorrido com o Dr M.V. em seu período na residência em hospital público na baixada fluminense .
Todos os dias a senhorinha, quase chegando aos 80 anos, aparecia no atendimento no final da tarde.
Sempre arrumada, roupas simples mas limpas, cabelo preso em coque, pedia para ser atendida, para verificar sua pressão arterial .
Depois de a atender por várias vexes seguidas, sempre fazendo as perguntas básicas, se tinha alguma alteração, algum sintoma diferente desde a última consulta , M.V desconfiava que a solidão a fazia ir ao atendimento .
Era oportunidade de falar com alguém, vivia sozinha .
A pressão arterial era de menina , 11 por 7.
Um dia M.V lhe disse :
- Sra , sua saúde é ótima, sua pressão arterial é de menina , porque vêm todos os dias aqui ?
- Ah Doutor, é que ao sair daqui saio flutuando, muito leve.A pressão toda vai embora quando o Sr tira.
M.V. apenas sorriu e concordou , e até o final da residência atendeu a senhorinha .

A mãe acompanhava a adolescente com a primeira consulta na ginecologista , a Dra A.C.
A médica fez a anamnese completa , e ao final , após preencher todos os dados, histórico de saúde da paciente e familares , disse apenas :
- Agora , balança .
Para sua surpresa a adolescente levantou e se sacudiu toda .


quarta-feira, 26 de julho de 2017

Proposta de Empreendimento

Isto aconteceu ainda nos 90, a Internet ia chegar ao país na segunda metade da década.
Lendo matéria em jornal de assuntos de economia  , a nota sobre fechamento de uma empresa , no Ceará, me chamou a atenção.
A nota destacava que era a única empresa no Brasil na época, no nordeste , que se dedicava a tal atividade . O valor da grama do veneno de cobra, em pó, chegava  a valer muitas vezes mais que a grama do ouro . O valor da grama do veneno da cascavel chega a 350 USD.
Era época de Sudene e seus incentivos fiscais . Fiquei curioso e fui pesquisar o assunto.
A Biblioteca Nacional , no centro do Rio, foi meu local de busca de informações . Hoje , com Internet, minha pesquisa teria sido mais fácil .
Uma cobra pode produzir 100 mg por mês de veneno, o mercado comprador é formado pela indústria farmacêutica , universidades, produtores de soro antiofídico , além de ser item de exportação.
Com 25 a 30 cobras se produz uma grama de veneno cristalizado por mês .         
Minha pesquisa avançou , vi que um terreno de 600 m2 seria suficiente para se começar , manter-se um serpentário  com 1300 serpentes, um criadouro de ratinhos brancos ( uma cobra come um ratinho por mês ) , um pequeno laboratório para extração  e guarda do veneno, e local para embalagem e despacho.
Os valores de faturamento eram interessantes , por mês  15.000 USD ( 43 gramas por mês ) , com custo de manutenção e operação não chegando a 6.000 USD , resultado de 9.000 USD limpos todo mês.
Com um terreno maior, mais serpentes, uma fêmea tem 15 filhotes em cada gestação , maior o resultado .
Pois estava com este plano de negócios na cabeça quando em papo com JA, marido de J., secretária da área de TI da empresa onde trabalhava , o assunto apareceu.
JA  era contador , me questionou todos os detalhes, como tinha o plano na cabeça  respondi.
Ele pegou calculadora na pasta , reviu minhas contas, me perguntou o tamanho das baias para serpentes, onde as conseguir , qual era o processo de licenciamento , qual seria o capital inicial, quanto tempo para se começar a produzir, venda, tudo quis saber .
Tudo respondi e ele pareceu animado , estava disposto a participar do projeto. Ainda mencionou que seria possível também vender ratinhos brancos , o que seria a 2ª linha de venda .
Expliquei a ele que deveríamos começar com poucas pessoas, os sócios deveriam meter a mão na massa até o negócio avançar bem .  Eu assinaria o projeto do laboratório , teríamos um profissional  de farmácia conosco , deveríamos cuidar de toda a operação .
JA então disse , “Como contador farei as escritas, a apuração e gestão financeira, mas participarei de outras coisas também, o que mais posso fazer ? “
Olhando sério para ele respondi :
- JA  , pensei que você poderia ser o cara para tirar o veneno da cobra .

Ele se levantou e foi embora , até hoje não sei porque .