domingo, 19 de maio de 2013

Enganos da Vida Real


Algumas situações me perseguem, voltam a acontecer. Enganos com meu nome , Ely, são esperados , é nome usado tanto para homens como para mulheres. Mas fiquei pensando em como as situações podem se repetir de maneira diferente.
Estávamos na casa de saúde, antes da cirurgia da coluna , já no quarto , Leila levantou e resolveu ir ao banheiro.
Estou sentado no sofá , lendo no Kindle, para passar o tempo aguardando a ida de Leila para a cirurgia quando a porta de correr do quarto se abre.
É um homem, paletó e crachá da casa de saúde,  e me diz olhando para uma ficha :
-  Boa dia  ! O sr é ?
- Bom dia ! Sou Ely .
Olha novamente a ficha, parece confuso, mas resolve continuar a falar .
- Sr Maria , o senhor vai fazer uma cirurgia de coluna hoje não vai ?
Quase rindo , percebendo a confusão dele , respondo pausadamente .
- Olha  quem vai operar é minha esposa, Leila Maria , eu sou Ely , ela está no banheiro .
O alívio dele foi imediato .
- Ah sim , é claro , não estava entendendo o nome que minha colega colocou na ficha da paciente .  O Sr falou Ely e do jeito que está escrito aqui fiquei na dúvida se era Ely, o senhor sabe Ely pode ser homem ou mulher  ....
Leila saiu do banheiro e o enfermeiro pode então se apresentar.

No dia seguinte após a cirurgia, ao voltar do trabalho para passar a noite no hospital, paro na recepção para obter nova identificação .
- Boa noite , vim para ver a paciente do apartamento 420 .
A recepcionista me pede um número de documento de identificação e logo ao começar ela me interrompe .
- É o CRM Doutor ?
Acho que pelas roupas, pelo cabelo grisalho , e pela forma de falar me tomou por médico.
A mesma confusão aconteceu quando entrei com o carro na casa de saúde para buscar Leila .
Paro na cancela  e ao apertar o botão para retirar o ticket a cancela se abre sem a impressão do ticket.
Dois manobreiros estão mais a frente e a um  deles me dirijo já na entrada .
- Sr, eu vim buscar uma paciente já em alta mas o ticket de estacionamento não saiu.
- Não se preocupe Doutor , médico não precisa pagar o estacionamento.
É  a segunda vez em poucos dias que me confundem como médico, resolvo manter a postura .
- A paciente é minha esposa, não estou aqui como médico, quero pagar o estacionamento.
- Um minuto Doutor, já pego um ticket para o senhor. O Sr deseja que coloque o carro próximo a saída ?
- Sim , muito obrigado .
Ao descer com Leila o carro estava lá na saída , o manobreiro ainda me aguardava .
Ajudou-nos colocando a bagagem na mala enquanto eu ia pagar o estacionamento.
Dei-lhe a gorjeta e saímos , mesmo eu não sendo o médico que pensava ele foi muito gentil .