domingo, 7 de fevereiro de 2016

Um Scottish Terrier em Serviço ou A Desventura de um Palhaço

Este caso foi narrado por Patrizia Meira, a feliz tutora de Freud .

A festa com as crianças foi programada, dia bonito, pessoas amigas chegando , sorrisos e abraços em profusão .
Freud, o valente Scottish Terrier,  a tudo observava , mantendo a distância , não se envolvendo , as crianças corriam pelo espaço , as pessoas conversando de forma animada em grupos .
Um homem chegou , foi recebido com polidez , Freud apenas notou sua chegada e viu quando o homem se dirigiu a um banheiro, do lado de fora  da casa .
Atento no que se passava não entendeu o que agora saía por aquela porta onde antes havia entrado o homem .
Que criatura era aquela com roupas folgadas e coloridas , uma bola vermelha no nariz , uma palha amarela descendo por baixo de um chapéu , a cara toda pintada ?
Não podia ser boa coisa , a certeza teve quando a criatura saiu pulando e gritando em direção as crianças , “Oieeee gente , o palhaço chegou .......”
Freud disparou em direção a criatura . Esta havia se abaixado e estava a fazer artes em direção as crianças quando a dentada no pano largo da calça a atingiu, no traseiro .
A criatura se assustou e começou a correr enquanto gritava , “Socorro , socorro , prende , prende ele , prende ele ,..... “
Freud em seu encalço ficou , voltas deram com esta gritaria , até que em cima do balcão do bar da piscina o palhaço se refugiou .
Embaixo um pretinho feroz dava voltas tentando encontrar uma maneira de subir .
As crianças gritavam , algumas excitadas com a situação , outras pessoas apenas diziam , “Homem , deixe de palhaçada , desça daí ... “.
Risadas explodiam , a dona da festa aborrecida com o acontecido pedia a Patrizia , a mãe de Freud , para o retirar .
Patrizia o buscou ,  pegou o pretinho no colo e o levou para trás de uma grade .

Não podia brigar com ele , a real  desventura do palhaço foi ter encontrado um Scottish Terrier em serviço .