sábado, 31 de outubro de 2009

Indicação de fantasia

D. havia acabado de ser admitida como administradora de dados, na equipe de administração e suporte de banco de dados da loja de departamentos.

Falante ao extremo, compartilhava o espaço em uma baia dividida com mais 3 pessoas.

A sua frente E. estava tentando descobrir a causa de um problema, que afetava a performance de um aplicativo importante da rotina das lojas, há mais de duas horas, e buscava concentração.

Nesta ocasião D. começou a falar da enorme preocupação que a afligia.
Havia sido convidada para uma festa de Dia das Bruxas e não sabia que roupa usaria.
Feiticeira, não podia, seria muito óbvia.
Fada , não seria uma má idéia, mas achava muito infantil.
Os questionamentos e opções se prolongavam, durando bom tempo.

Cansado de tanto ouvir as preocupações da colega E. deu a sugestão definitiva :
- É só passar na sua casa e pegar a vassoura, vai assim mesmo!
Se alguém pudesse ser morto por olhares de fúria naquele dia ele estaria truicidado.

Apelido francês

Esta quem me mandou foi o Jackson , pai da Camila.
DIRRAN era jogador do Clube Atlético Potengi , da segunda divisão do Rio Grande do Norte.
Tinhas as feições e porte do que no Nordeste chamam de galego, forte , de pernas curtas.
Há alguns anos quando o Clube Atlético Potengi ainda jogava no Machadão, em Natal, contra o Potyguar de Currais Novos , Dirran se destacava lançando , dando dribles desmoralizantes e fazendo gol.
Presente ao jogo,o narrador da Rádio Poti não cansava de gritar:
-Dirran é um craque, Dirran é uma revelação do futebol norte-riograndense.
E era Dirran prá cá, Dirran pra lá ...
Ao final do jogo o Atlético Potengi perdeu por 3 a 1 mas o destaque da partida foi Dirran.
Vendo aquele sucesso todo do jogador atleticano, o repórter de campo da Rádio Poti correu para entrevistar o craque na beira do gramado e disparou a pergunta :
- Você tem parentes na França , seus pais ou avós são franceses, parlez vous français ?
Olhando muito espantando para o repórter o craque respondeu:
- Não sinhô , meu apelido é Cu de Rã , mas como num pode falar na rádio eles abreveia ......

domingo, 11 de outubro de 2009

Sem resposta

Fui ao teatro ver Elizabeh Savalla em "Friziléia , uma mulher a beira de uma ataque de nervos ". Curioso que interpretando uma dona de casa que questiona a vida que está levando, o que podia ter feito, o amargo de sua rotina, em atuação muito boa, toda hora me lembrava seu papel como a Malvina, a jovem feminista da novela baseada em obra de Jorge Amado, em personagem totalmente diferente.
Uma grande atriz estava em cena.

Durante a peça contou que, durante apresentação em Manaus, fez uma pergunta a um rapaz na platéia e não teve resposta.
Insistiu , como não podia responder, queria sim ou não como resposta.
Ele não fala português, é holandês, respondeu a moça que estava ao lado.
Minha lembrança na hora foi outra.

Estava fazendo a apresentação, aula inaugural, do MBA de gestão de TI.
Sala cheia, escolhi 2 pontos na sala em lados opostos, para onde dirigia meus comentários, alternando ora falando para um, ora para outro.
Um dos pontos era um rapaz que me ouvia com vívido interesse, vez por outra acenando com a cabeça em sinal de aprovação a uma ponderação no raciocínio que desenvolvia em sala.
Pois para este rapaz dirigi a pergunta :
- Na sua opinião qual o papel hoje do profissional de TI nas empresas?
Não me respondeu . Ao invés de perguntar a outra pessoa insisti :
- Não há julgamento aqui , o que você acha , fale !
A menina que estava sentada ao lado dele impediu que eu fizesse nova pergunta .
- Professor, ele é mudo .
Disse Ok e segui em frente.

sábado, 3 de outubro de 2009

E além disso tudo

Esta não é uma estória engraçada . Mas sim uma estória de paixão por minha cidade. Tive a sorte de, na carreira profissional, ter visitado e conhecido diversas cidades , capitais importantes ao redor do mundo.
Não conheci nenhuma mais bela que o Rio. Mais limpas, sim, mais organizadas, sim, várias são. Nenhuma delas entretanto com o conjunto de obras esculpidas pela natureza, com as pessoas risonhas que aqui existem.
Pois com tudo isso agora é sede da 31a Olimpíada . Peço desculpas a quem aqui não vive, mas aqui de fato é diferente.