terça-feira, 31 de outubro de 2017

Rosas do deserto ou as flores de plástico não morrem

Este caso quem me enviou foi novamente Patrizia Meira, grande amiga que meus cães me fizeram encontrar.
Patrizia tem outras paixões além dos cães, uma delas são flores e plantas .
Paixão que herdou da mãe.
Suas orquídeas por exemplo são lindas, graças a seus cuidados.
Pois Patrízia recebia amiga que ao examinar seu jardim mencionou como estavam lindas as rosas do deserto naquele canteiro..
Disse-lhe que não dava sorte, todas as que tinha tentado plantar morreram .
Patrizia começou a explicar os cuidados necessários com a terra, poda, até que dúvida lhe veio a cabeça.
Era simples demais mas resolveu perguntar :
- Você molha suas plantas ?
A resposta a derrubou .
- Mas precisa, não são rosas do deserto ?
Patrizia encerrou com argumento fulminante :
- Olhe, as únicas plantas que não precisam de água são as de plástico .

sábado, 14 de outubro de 2017

Casos Médicos


Lidar com pacientes dá origem a muitas experiências curiosas para muitos médicos .
Como o ocorrido com o Dr M.V. em seu período na residência em hospital público na baixada fluminense .
Todos os dias a senhorinha, quase chegando aos 80 anos, aparecia no atendimento no final da tarde.
Sempre arrumada, roupas simples mas limpas, cabelo preso em coque, pedia para ser atendida, para verificar sua pressão arterial .
Depois de a atender por várias vexes seguidas, sempre fazendo as perguntas básicas, se tinha alguma alteração, algum sintoma diferente desde a última consulta , M.V desconfiava que a solidão a fazia ir ao atendimento .
Era oportunidade de falar com alguém, vivia sozinha .
A pressão arterial era de menina , 11 por 7.
Um dia M.V lhe disse :
- Sra , sua saúde é ótima, sua pressão arterial é de menina , porque vêm todos os dias aqui ?
- Ah Doutor, é que ao sair daqui saio flutuando, muito leve.A pressão toda vai embora quando o Sr tira.
M.V. apenas sorriu e concordou , e até o final da residência atendeu a senhorinha .

A mãe acompanhava a adolescente com a primeira consulta na ginecologista , a Dra A.C.
A médica fez a anamnese completa , e ao final , após preencher todos os dados, histórico de saúde da paciente e familares , disse apenas :
- Agora , balança .
Para sua surpresa a adolescente levantou e se sacudiu toda .


quarta-feira, 26 de julho de 2017

Proposta de Empreendimento

Isto aconteceu ainda nos 90, a Internet ia chegar ao país na segunda metade da década.
Lendo matéria em jornal de assuntos de economia  , a nota sobre fechamento de uma empresa , no Ceará, me chamou a atenção.
A nota destacava que era a única empresa no Brasil na época, no nordeste , que se dedicava a tal atividade . O valor da grama do veneno de cobra, em pó, chegava  a valer muitas vezes mais que a grama do ouro . O valor da grama do veneno da cascavel chega a 350 USD.
Era época de Sudene e seus incentivos fiscais . Fiquei curioso e fui pesquisar o assunto.
A Biblioteca Nacional , no centro do Rio, foi meu local de busca de informações . Hoje , com Internet, minha pesquisa teria sido mais fácil .
Uma cobra pode produzir 100 mg por mês de veneno, o mercado comprador é formado pela indústria farmacêutica , universidades, produtores de soro antiofídico , além de ser item de exportação.
Com 25 a 30 cobras se produz uma grama de veneno cristalizado por mês .         
Minha pesquisa avançou , vi que um terreno de 600 m2 seria suficiente para se começar , manter-se um serpentário  com 1300 serpentes, um criadouro de ratinhos brancos ( uma cobra come um ratinho por mês ) , um pequeno laboratório para extração  e guarda do veneno, e local para embalagem e despacho.
Os valores de faturamento eram interessantes , por mês  15.000 USD ( 43 gramas por mês ) , com custo de manutenção e operação não chegando a 6.000 USD , resultado de 9.000 USD limpos todo mês.
Com um terreno maior, mais serpentes, uma fêmea tem 15 filhotes em cada gestação , maior o resultado .
Pois estava com este plano de negócios na cabeça quando em papo com JA, marido de J., secretária da área de TI da empresa onde trabalhava , o assunto apareceu.
JA  era contador , me questionou todos os detalhes, como tinha o plano na cabeça  respondi.
Ele pegou calculadora na pasta , reviu minhas contas, me perguntou o tamanho das baias para serpentes, onde as conseguir , qual era o processo de licenciamento , qual seria o capital inicial, quanto tempo para se começar a produzir, venda, tudo quis saber .
Tudo respondi e ele pareceu animado , estava disposto a participar do projeto. Ainda mencionou que seria possível também vender ratinhos brancos , o que seria a 2ª linha de venda .
Expliquei a ele que deveríamos começar com poucas pessoas, os sócios deveriam meter a mão na massa até o negócio avançar bem .  Eu assinaria o projeto do laboratório , teríamos um profissional  de farmácia conosco , deveríamos cuidar de toda a operação .
JA então disse , “Como contador farei as escritas, a apuração e gestão financeira, mas participarei de outras coisas também, o que mais posso fazer ? “
Olhando sério para ele respondi :
- JA  , pensei que você poderia ser o cara para tirar o veneno da cobra .

Ele se levantou e foi embora , até hoje não sei porque .

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Apelo Equivocado

O caso abaixo me foi narrado por Daniel Pedrozo , amigo, companheiro de trabalho.
Daniel e sua família são batistas, como ele mesmo diz traz a fé batista em seu dna .
----
O pastor americano estava há quase um ano acompanhando os cultos e trabalhos da Igreja Batista em Brasília .
Havia desenvolvido o aprendizado de português,mas ainda não se sentia pronto para dirigir a mensagem durante os cultos ,esta tarefa era sempre desempenhada pelo pastor brasileiro.
Desafiado por este , instado a prestar com força seu testemunho e convocar os fiéis , em português  preparou a mensagem .  A estudou e repetiu várias vezes pedindo sempre que o ajudassem na pronúncia de cada palavra .  O mais importante estava na paixão que havia dedicado, na força que pretendia transmitir .
No dia marcado ,  transcorreu o culto em sua ordem normal com a oração inicial, os hinos ,a leitura da palavra , oração , até a chegada do momento da mensagem.
Para surpresa da congregação o pastor americano assumiu o  púlpito e pregou .
Sua fala carregada de paixão e emoção a todos tocou .
Terminada a fala , ainda sentindo a emoção presente , se afastou .
O pastor brasileiro então lhe disse, você foi muito  bem , faça o Apelo .
No Apelo  o pastor convoca aqueles entre os presentes, que ainda não o fizeram , para vir a frente e proclamar a aceitação de Jesus, na companhia do Espírito Santo ,  enquanto a congregação permanece de pé e reza.
Há sempre um sentimento de vergonha  e  timidez entre  as pessoas para sair do lugar ,caminhar até a frente , passando no corredor entre todos , a reconhecer que pecaram .
Não pensou muito bem o pastor ao elaborar o apelo , dada sua dificuldade  no idioma, não havia ensaiado .
Sua fala foi :
- Venha aqui  sem vergonha ! Venha sem vergonha, Venha sem vergonha  !

domingo, 18 de dezembro de 2016

Messenger da Paixão

Quem me narrou este caso foi uma das  pessoas que também passou 2016 “levando a vida na van Tijuca “ . Inteligente, dedicada, tem coração enorme , compartilha a paixão por animais.
Os casos que conta de seu Shitzu evidenciam esta paixão .
Mostra o caso  também as “roubadas “ em que se entra ao aceitar pedidos de amizade no Facebook.
Pois ela recebeu ela a seguinte mensagem via Messenger :
-  Oi F. , tudo bom ? Estou vendo suas fotos aqui, muito legais .
- Oi , ok .
- F. espero que o que vou dizer em seguida não afete nossa relação como amigos . Desejo que você esteja bem , muito bem em sua relação  , mas se não estiver por favor me deixe falar .
F.  fica curiosa, o que o este cidadão vai falar  ? Quem é ele mesmo ?
- Sempre fui apaixonado por você , perdidamente apaixonado, e vendo agora suas fotos não posso mais me conter . Você sempre foi a pessoa que quis , aquela com quem queria montar a vida  e a família, a mãe dos lindos filhos que iriamos ter .
F. se pergunta , o que está acontecendo, que confusão..
Vai olhar o perfil , nada se lembra , nenhuma pista .
O rapaz prossegue :
- Aquela vez que nos encontramos em um hotel , em um jantar  , em Curitiba , foi um divisor de águas em minha vida .  Depois deste encontro só passei a pensar  em você.
F. fica preocupada, morou em Curitiba . Será que ficou  bêbada e fez alguma besteira se pergunta . Continua nada se lembrando .
A mensagem continua .
- Em todo tempo que você trabalhou na Accenture sempre tentei ficar por perto de você, para quem sabe um dia me notasse.
A menção a empresa de consultoria, Curitiba , resolveu o mistério para F.
Ela resolve finalmente falar .
- Acho que você está me confundindo com minha irmã, R.  Ela sim trabalhou na Accenture, eu não  .
- Meu Deus , você tem razão , peço desculpas .  Vocês são muito parecidas .

Mas saiba que você é  também uma menina muito legal . A propósito , está tudo bem com você ?

Um Caso de Natal

Este caso foi narrado por Valdoir Stramondinoli .
Quando o conheci Valdoir era gerente regional na rede de lojas de departamento, uma posição executiva importante .
Foi e é sempre uma pessoa de brilho, conquistou tudo a custo de muito trabalho e dedicação, superando as dificuldades que vida de início lhe reservou .
------
Passei minha infância na pequena Tupi Paulista. À época, uma prospera cidade agrícola.
Crianças de cidades pequenas, não tem nomes. Tem referências.
Eu era para as mulheres, o filho da “Dona Helena Lavadeira”.
Para os homens, filho do “Orlando Careca”.
Nome? Não era necessário.

As referências bastavam
Quando chegava dezembro, o comércio como hoje, abria suas portas até as 22:00 hs.
Decoração simples nas lojas, mais ainda, as das ruas patrocinadas pela Prefeitura Municipal.
Mas era uma maravilha passear a noite pela cidade, toda iluminada.
A melhor loja de brinquedos para presente era o Bazar do “seu Paulo”.
O seu Paulo foi por um tempo nosso vizinho. Pernambucano, de temperamento “esquentado”, seus filhos sofriam com as surras que levavam quando faziam algo que ele não gostava.
Confesso que tinha um pouco de medo dele.
Então, quando passávamos em frente a loja do “Seu Paulo”, ficávamos imaginando o presente que iríamos ganhar. Meu sonho era um quadriciclo em lata, todo vermelho, como se fosse do Corpo de Bombeiros, com uma linda luz, que se acendia em cima da lataria.
A ansiedade era grande para a noite que antecedia o Natal. Em casa quase não se comentava sobre a data, talvez em função da dificuldade financeira dos meus pais e por não terem condições de comprarem absolutamente nada para nós.
Mas nós ouvíamos as demais crianças dizerem que “Bastava colocar os sapatos em baixo da janela” que no amanhecer do dia de natal, o Papai Noel colocaria ali, os nossos presentes.
Assim fizemos e fomos dormir na esperança que ao acordarmos, nossos presentes estariam ali, sobre os nossos “sapatos”.
Mas, enorme foi a decepção, ao constatarmos na manhã do dia de natal, que nossos presentes não estavam lá.
Não entendíamos o por que. 
Meu irmão mais novo achou a explicação para o fato.
- Deve ser porque colocamos chinelos.
Não tínhamos sapatos.

----

Ajude a trazer alegria para uma criança pobre, procure em sua cidade, empresa, como ajudar .

sábado, 10 de dezembro de 2016

O Caso do Ouriço ou Atração Fatal

É necessário antes falar do personagem deste caso .
Um dos irmãos que a vida me deu , tem como apelido o mesmo que político brasileiro adota, só que ao contrário do último ele é pessoa do bem.
Meus filhos o chamam de Tio L. Trabalhador dedicado, honesto, inteligente ,coleciona amigos com facilidade e maestria .
Pois com ele o caso aconteceu na convenção da rede de lojas de departamentos no ano 2.000.
Passavam os gerentes e diretores da empresa uma semana discutindo temas importantes para a operação, participando de seminários e palestras de formação .
No dia deste caso, após a primeira palestra, o presidente da empresa, entusiasmado com o resultado da recepção do assunto , cancelou o restante da agenda e liberou todos para usufruir do hotel , o Club Med em Itaparica .
Da palestra fomos para a piscina , aproveitar o dia , beber cervejas e jogar conversa fora .
Ainda na piscina se aproximou garçom do hotel oferecendo um ouriço do mar, aberto, como iguaria .
Recusei na hora mas L. resolveu experimentar apesar dos avisos de todos :
- Não coma L. , isto tem muito hormônio feminino, faz crescer a mama !
Ele ignorou os avisos e provou .
Da piscina fomos almoçar e depois de um tempo para a quadra do hotel , para uma pelada que acabou sendo muito engraçada  .
Da quadra  fomos para a sauna.
Estávamos na sauna, jogando conversa fora , quando um francês entrou .
Retirou a toalha que o envolvia  e,  completamente nu,  sentou-se atrás de L .
Nesta hora  L. reagiu :
- Companheiro me desculpe, mas fico muito desconfortável com um cara nu nas minhas costas, vou ficar aqui mais para o lado .
Não aguentei e entre  risos disse a L .:

- Está vendo, é o hormônio do ouriço fazendo efeito, você está atraindo caras pelados .

sábado, 3 de dezembro de 2016

Soletrando - II

Estamos hoje conectados a tudo que acontece no globo .
Um acontecimento na  Ásia, do outro lado do mundo, nos chega com informações em tempo real .
Mas para que isto aconteça precisamos, antes de mais nada, compreender a mensagem enviada, decodificar o texto e a ele associar um sentido.
Os nomes narrados abaixo são fictícios, a situação é real .
Pois estava o engenheiro, encarregado do turno da operação da usina,  cobrindo o horário de almoço, de um funcionário, na central de monitoramento de operações .
Ao perceber um sinal indicativo de mau funcionamento de um equipamento na planta  puxou o telefone interno, e chamou um operador que estava próximo da área .
O dialogo assim seria também reproduzido por todos os alto falantes da área.
Vale registrar que todos os equipamentos tinham uma código que os identificava .
No caso o equipamento tinha o código GB0124572.
O operador próximo da área era senhor com mais de 30 anos de trabalho na usina.
Depois de muito trabalhar sem o uso de proteção auricular estava meio surdo.
A conversa transcorreu assim :
- Zé Carlos , é o Bira . Dá uma olhada por favor na esteira GB0124572 .
- O que ?
- Olha para mim a esteira GB0124572 .
- GD0124572 ?
- Não , GB0124572.
- Hein ?
- GB0124572 por favor .
- GC0124572 ?

- Não seu burro , G de “Juda” , “B  de Bacate “ .

sábado, 29 de outubro de 2016

Uma deputada e um ferro de passar .

Quem a conhece a adora . É daquelas pessoas especiais, que fazem valer a pena conhecer.
Nos conhecemos há mais de 25 anos, digo a ela que completamos bodas de prata , meu carinho e admiração  só aumentaram ao longo do tempo , por sua pessoa, pela excelente profissional  que é , organizada, pensando a frente , metódica, atenta a detalhes, sempre tratando a todos com profundo respeito.
Pois estávamos trabalhando no escritório da empresa então na  Av Rio Branco e, ao sair do restaurante onde almoçamos , me pediu para a acompanhar até uma loja de eletrodomésticos na rua Uruguaiana .
A mãe havia encomendado um novo ferro de passar , não qualquer um , mais o melhor que encontrasse .
Ela entrou na loja enquanto eu ficava do lado de fora acabando de fumar .
Entrei e a vi com uma vendedora .
Havia escolhido um  ferro de passar de última geração .
O ferro possuía sensor ótico que analisava o tecido , escolhia automaticamente a temperatura , quanto deveria borrifar de água , etc .
Um show de tecnologia em um ferro de passar .
Não resisti ao me aproximar  e indaguei :
- Deputada , Vossa Excelência já escolheu o ferro de passar ? Posso mandar o segurança trazer o carro ?
A vendedora a olhou com novo interesse .
-  A Sra é deputada ?
Respondi , sim é a deputada MCA , de Campo Grande , Rio de Janeiro .
C. nos olhava espantada sem nada conseguir dizer .
A vendedora sacou o celular e pediu permissão para fazer uma selfie .
Neste momento C. respondeu , não sou deputada nada , é palhaçada deste garoto.
Confusa , me vendo piscar o olho, a vendedora insistiu :
- Uma foto só , por favor .
A selfie foi feita , com C. sorridente ao lado da vendedora .
Na saída C. comigo reclamou :
- Ely , você só me faz passar vergonha !

Rimos muito .

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Um Milagre Urbano .

P. e G. são profissionais de TI e trabalham juntos na mesma empresa como consultores .
Em certo dia , ao invés de irem para o centro do Rio, onde na época ficava a sede da empresa, foram para a Barra , no Cittá América , para atender a uma demanda de um projeto .
Naquele dia ao sair , ainda na calçada do Cittá , se preparando para atravessar a Av das Américas e ir para o ponto de ônibus , viu P. a aproximação de uma moça , deficiente visual. Resolveu P. praticar a boa ação do dia e ajudar a moça a atravessar .
Chegando ao ponto de ônibus , os dois conversando com a moça , descobriram que ela também ia para a Tijuca , também ia usar a linha do 301 .
P. , mão de vaca assumido , imediatamente percebeu a chance de entrar por trás no ônibus ,ajudando a moça , e assim economizar uma passagem . Uma boa ação estava sendo recompensada .
Assim fizeram a viagem ,  se apresentaram , descobriram que ela trabalhava no shopping Downtown , que ela possuía celular preparado para uso por deficientes visuais , a ajudaram a descer do coletivo no ponto da Rua Uruguai .
No dia seguinte quem estava lá no mesmo horário, tentando atravessar a avenida ?
A mesma moça que reconheceu a voz de P. e de G. e aceitou novamente a ajuda .
Para P. aquilo estava se tornando um prazer , mais um dia de viagem grátis .
Desta vez a viagem não foi tão tranquila .
Após passar pelo Colégio São José , já próximo da rua de subida de uma comunidade, o ônibus parou . A rua Conde de Bonfim teve o tráfego interrompido por protesto de motoboys .
O protesto derivou para confusão na rua . O trocador pediu aos  passageiros que se abaixassem , explosões começaram a se ouvir .  Abaixados, tensos , não sabendo o que poderia acontecer, viram a situação ficar ainda pior quando uma senhora na frente do ônibus gritou :
- Eles vão tacar fogo no ônibus !
Em ato contínuo o motorista abriu as portas , os passageiros abaixados começaram a sair correndo . Segurando a moça deficiente visual  pelas mãos os dois a levaram correndo rua acima, até pegar uma transversal , podendo assim evitar a região do tumulto .
Levaram a moça até em casa , a deixando em segurança .
Dias depois , retornando ao Cittá , depois de almoço no Downtown , recebeu P. mensagem de celular enviada pela moça .
- Acho que vi você no Downtown !

Um milagre havia se consumado !

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Atendimento a Cliente , Futebol como Estratégia.

O profissional de TI, quando chamado em tarefa de suporte a um cliente interno, muitas vezes encontra frustração em seu cliente motivada  por outras razões .
Lembro de um caso comigo, em que a profissional de compras me ligou para reclamar de determinada situação no sistema de preços da loja de departamentos . Estava nervosa, a área de compras em uma rede de varejo trabalha sob pressão todos os dias , sua ação tem influência direta no resultado da empresa .  A deixei falar , extravasar tudo , apenas pedi a informação de  quais itens o problema se verificava .  Pedi que me desse uma hora que retornaria com o diagnóstico e plano de ação se necessário .
Era caso simples, uma informação não havia sido digitada, por isso o cálculo não chegava ao resultado que ela esperava .  Preparei demonstração em excel de como o cálculo estava acontecendo e, de como seria,  se o dado tivesse sido informado.  Havia também , no mesmo mês, divulgado documento , mais de uma vez , a todos os compradores de como o cálculo se comportava . Juntei ao conjunto de documentos cópia de e-mails trocados com ela sobre o documento , esclarecimento de dúvidas que ela tinha  . Fui até sua mesa, apresentei tudo , vi que ela percebeu de imediato onde havia errado . De forma humilde me pediu desculpas , pelo que havia dito .  Tornou-se grande amiga .
As vezes outra estratégia pode ser empregada , como o que usou F. , na empresa de mineração. Trabalha em suporte direto a usuários em suas estações de trabalho. Atendendo a chamado na sala do executivo de compras percebeu que ele estava aborrecido, a discutir ao telefone , de forma exaltada , um problema pessoal . Uma informação deve ser dada, F. é rubro-negro e sabia da paixão do executivo pelo Fluminense .
Ao terminar a chamada telefônica o executivo o viu e chamou :
- F. , vem aqui por favor, esta droga não funciona , dá toda hora esta mensagem de erro. Apontava para a tela de seu notebook enquanto o dizia.
F. se aproximou , viu a mensagem e respondeu :
- Olhe , este caso é fácil de resolver, o que não consigo resolver é o que acontece com meu Flusão .
O executivo se acalmou , passou a falar dos problemas do Fluminense.
F. resolveu o problema e recebeu cumprimento carinhoso do executivo.
Na mesma sala, outro funcionário, R. , sabendo que F. é rubro-negro ria sem parar.
Duas semanas depois F. é chamado novamente a sala do executivo .
Com um sorriso ele o recebe e diz que tem um presente para ele.
Entrega uma caixa , F. a abre e encontra uma camisa do Fluminense com o autógrafo  de Fred.
Vista a camisa o executivo pediu , vamos tirar uma foto .
F. sem graça o atendeu e vestiu a camisa.
Algumas fotos depois o executivo lhe diz :
- Seu malandro, você me enganou no outro dia, disse que era tricolor para puxar assunto e desviar meu stress . Mas agiu bem , tudo se resolveu . Entretanto esta foto agora vai para o Facebook , vou te marcar , e você vai explicar para todos os seus amigos porque deixou de ser Flamengo . R. que ria sem parar naquele dia me contou depois qual era seu time.

F. riu , abraçou o executivo e saiu da sala, o mais importante , o atendimento tinha sido feito.

sábado, 16 de julho de 2016

Cuidando de Orquídeas

Patrizia Meira me narrou este caso , na verdade é ela personagem do acontecido, com a fundamental participação de seu marido Thiago .
Patrízia tem paixão por Scottish Terriers, orquídeas e Van Gogh , não necessariamente nesta ordem.
A paixão por flores penso que herdou de sua mãe, Sra Eliana Meira .
São todos pessoas maravilhosas que tive a chance de conhecer graças a paixão comum pelos cães.
Pois moram todos em Recife , que nesta época do ano ( Julho/2016) tem experimentado dias mais quentes.
Thiago, detesta calor , já me disse que quando vier ao Rio será em época distinta do verão.
Cuidando de sua nova orquídea, em vaso, Patrizia a levou para o quarto, onde estava Thiago com o ar condicionado ligado .
A colocou em sua mesa de cabeceira .
Ao ver a flor Thiago perguntou :
- Porque você trouxe esta planta para o quarto ?
- Para ficar no frio, está quente lá fora .
Durante a noite, com sede, Patrizia acordou e foi buscar água no frigobar do quarto.
Para sua surpresa ao abrir o frigobar encontrou a orquídea .
Algumas folhas estavam mudando de cor, queimadas pelo frio.
A retirou, colocou de volta na mesinha de cabeceira .
Pela manhã , ao acordarem, perguntou a Thiago :
- Thiago , porque você colocou a planta no frigobar ?
A resposta foi ótima :
- Oxe, você não disse que ela gosta de gelo ?

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Quando eles dizem não

Gosto de ir feira livre, toda quarta-feira tem uma muito próxima de minha casa, em rua transversal .
Diminuiu de tamanho, antes ocupava toda a rua , hoje só ocupa a metade .
Mas é ainda lugar de encontrar tipos e pessoas engraçadas .
Fui nesta 4a feira ( 15/06 ) a feira em busca de frutas .
Paro em frente a uma barraca e observo fruta que não conhecia, atemóia , muito parecida com a fruta do conde .
Elisa e eu somos doidos por fruta do conde , pergunto ao feirante , como é esta fruta, é doce ou ácida ?
Ele responde , é mais doce , mais gostosa que um beijo, aceita um pedaço ?
Nisto ao lado dele , enquanto cortava o pedaço , para uma senhora.
Já por volta dos 40 anos , lenço amarrado na cabeça , para ela se volta ao feirante também ofertando :
- E ai freguesa , aceita também um pedaço ? É mais gostosa que um beijo.
Ele se volta para mim :
- Gostou freguês ?
-  Sim , me dá uma caixa desta fruta e uma caixa de caqui .Deixa também eu ver aquelas peras.
Venda feita ele volta novamente para a freguesa :
- Gostou ?
Ela olhando diretamente nos olhos dele , com o corpo virado totalmente para ele , responde seriamente, em voz rouca , quase sussurrando  :
- Gostei , mas ainda prefiro um beijo .
Quase que me engasgo ao ouvir e espero a reação dele .
Os segundos se passam , ele nada responde , está sem ação, ela se vira e vai embora .
Não resisti e comentei :
- Companheiro, o que houve ? Ela te pediu um beijo , você não quis dar . Quer que eu a chame para você ?
Ele responde , vermelho como um pimentão :
- Não , não , deixa quieto , deixa quieto, deixa ela ir .....
Eu e outro feirante da barraca não conseguimos segurar as gargalhadas .

Situação parecida, de não reação, aconteceu na empresa onde trabalho.
A empresa tem em cada andar uma área de convivência .
Nesta área ficam máquinas de café expresso, chocolate quente, leite , bebidas grátis , bebedouros e máquinas de nexpresso . Para esta última é necessária a compra do sachê , o sabor que se quer .
Estou pegando água , a meu lado está a máquina de café expresso comum.
D., que trabalha comigo, ao me ver  pensa que estou pegando café e a uns 3 metros de distância, pessoas em volta , começa a falar alto :
- Ei , para aí , amigo meu não bebe este café , bebe nexpresso .
Caminha em minha direção mostrando dois sachês .
A meu lado, de fato pegando café , está menina da área de compras, loirinha , bonita .
Não seguro e mando de volta :
- Seu fanfarrão , não estou pegando café , estou pegando água. Agora se você quer oferecer café para alguém  ofereça para esta menina . Ela é bonita , ela quer um café agora .
A menina ao ouvir abre enorme sorriso , olha para mim e para D.
Este , a metro e meio de distância , para , percebe a bobagem , olha para o sorriso da menina e fica paralisado .
Mexe no bolso , puxa o celular , diz alô e dá meia volta andando rápido.
A menina começa a rir .
Digo a ela :
- Não fique triste . Ele é padawan , nunca vai ser um Jedi .
Ela ri mais ainda , nos despedimos .




domingo, 7 de fevereiro de 2016

Um Scottish Terrier em Serviço ou A Desventura de um Palhaço

Este caso foi narrado por Patrizia Meira, a feliz tutora de Freud .

A festa com as crianças foi programada, dia bonito, pessoas amigas chegando , sorrisos e abraços em profusão .
Freud, o valente Scottish Terrier,  a tudo observava , mantendo a distância , não se envolvendo , as crianças corriam pelo espaço , as pessoas conversando de forma animada em grupos .
Um homem chegou , foi recebido com polidez , Freud apenas notou sua chegada e viu quando o homem se dirigiu a um banheiro, do lado de fora  da casa .
Atento no que se passava não entendeu o que agora saía por aquela porta onde antes havia entrado o homem .
Que criatura era aquela com roupas folgadas e coloridas , uma bola vermelha no nariz , uma palha amarela descendo por baixo de um chapéu , a cara toda pintada ?
Não podia ser boa coisa , a certeza teve quando a criatura saiu pulando e gritando em direção as crianças , “Oieeee gente , o palhaço chegou .......”
Freud disparou em direção a criatura . Esta havia se abaixado e estava a fazer artes em direção as crianças quando a dentada no pano largo da calça a atingiu, no traseiro .
A criatura se assustou e começou a correr enquanto gritava , “Socorro , socorro , prende , prende ele , prende ele ,..... “
Freud em seu encalço ficou , voltas deram com esta gritaria , até que em cima do balcão do bar da piscina o palhaço se refugiou .
Embaixo um pretinho feroz dava voltas tentando encontrar uma maneira de subir .
As crianças gritavam , algumas excitadas com a situação , outras pessoas apenas diziam , “Homem , deixe de palhaçada , desça daí ... “.
Risadas explodiam , a dona da festa aborrecida com o acontecido pedia a Patrizia , a mãe de Freud , para o retirar .
Patrizia o buscou ,  pegou o pretinho no colo e o levou para trás de uma grade .

Não podia brigar com ele , a real  desventura do palhaço foi ter encontrado um Scottish Terrier em serviço .

sábado, 19 de dezembro de 2015

Desejos de fim de ano .

Gosto de dedicar aos meus amigos e entes queridos um conjunto de pensamentos no final  de cada ano.

Sei que não podemos mudar em nada o que passou mas podemos desejar ter um presente e um futuro de alegria e felicidade , em que gastemos menos tempo em coisas e mais tempo com pessoas e nossos seres queridos.

Desejo de coração que neste Natal e no  próximo ano os dias lhe sejam brilhantes e floridos, que risos e alegria estejam a sua volta e mesmo naqueles dias em que não parecer ser assim que flores , sorrisos e abraços lhe apareçam, e lhe enfeitem a alma . 
Que a felicidade esteja presente para todos, em todos os dias , que estes sejam bons e que assim superem os que parecem ruins ,
Que tenham tempo para aproveitar momentos que lhe serão únicos ,
Caso algo lhes pareça difícil tenham força e coragem para tudo enfrentar com um sorriso nos lábios e um coração puro,
E mais importante, tenham confiança quando estiverem em dúvida ;
Pois dias de arco-íris surgem após as chuvas ,.

Que o ano lhe seja ruidoso com os sons da alegria e também com momentos de silêncio, pois por vezes do silêncio do coração e de nossos pensamentos partem nossos melhores votos.

Que o ano lhe seja de paz, que seus desejos bons e puros presentes em seu coração aconteçam a você e a seus entes queridos. 


Tenha a certeza que no próximo ano estaremos lado a lado, como amigos que somos, e que ao final do ano , ao olhar para trás, a lembrança de tantos bons momentos vividos lhe aflore e traga um sorriso e saudade , pois terá sido um ótimo ano .