Descobrindo nível de serviço

Li no Blog do Mauro Ventura texto em que compara os itens de série de nossos carros com os de carros americanos, ingleses, etc.

Lembrei imediatamente da primeira vez que aluguei carro em viagem, isto em 1990, e da diferença dos níveis de serviço.

Tinha comigo o voucher de carro econômico, carro de câmbio manual , mas ao chegar a locadora para retirar o carro a atendente me informou , pedindo desculpas :

- Senhor, pedimos desculpas mas não temos no momento nenhum carro do modelo que o senhor reservou. Vamos lhe dar então um de modelo superior, sem nenhum custo extra , o senhor aceita ?

Na hora confesso que pensei que havia entendido errado, como é que é , vou levar um carro de modelo superior sem custo ?

Era isso mesmo e, para meu espanto, mais aconteceu com o casal que havia conhecido no vôo e que, por coincidência, haviam comprado o mesmo pacote de viagem.

Como eu estava retirando o último carro médio a eles era oferecido um SUV.

Fomos até o pátio retirar o carro , um modelo da Ford .

Recebi as chaves do atendente que logo me deu as costas.

E agora , como abrir a mala, o carro tinha uma série de botões e controles, como funcionavam ?

Chamei o atendente e pedi que me explicasse como tudo funcionava naquele carro.

Ele me olhou como se eu tivesse chegado de Marte.

Pacientemente me explicou, aqui você abre a mala , aqui funciona o piloto automático, aqui os controles de temperatura, aqui os controles de posição do banco, a posição de parking, sair, etc....

Fiquei contente como criança descobrindo as funcionalidades de brinquedo novo.

Não precisava trocar a marcha , era gostoso e fácil de dirigir , mas na primeira meia hora a perna esquerda buscava por reflexo a posição da alavanca de embreagem.

Encontramos o casal e pegamos a estrada saindo de Miami indo para Kissimmee.

Na estrada , perfeita em pavimentação, sinalizada , era só acionar o piloto automático e segurar a direção .

Mas o choque maior veio no dia seguinte.

Para aqueles que não viveram a Internet só iria surgir 5 anos depois.

Tinha passado por experiência ruim no mesmo mês, em que ao tentar embarcar em vôo de volta de Salvador para o Rio, minha passagem ,paga e confirmada pela agência , não aparecia na relação de embarque.

O funcionário da empresa aérea ainda teve a cara de pau de me dizer que eu não havia feito o percurso Rio-Salvador .

Só não explicava como eu tinha o canhoto do embarque no Rio e como havia eu me materializado em Salvador.

Recomendou que sempre confirmasse minha volta logo ao chegar.

Preocupado assim resolvi ligar para a empresa aérea para confirmar minha volta.

Tinha o telefone da companhia em Miami e liguei.

Número errado era a mensagem que vinha sempre.

Vi então no aparelho a instrução tecle 0 para ajuda.

Uma voz solícita me atendeu em segundos.

Expliquei o que acontecia e a voz gentil me explicou :

- Para ligar para este número em Miami o senhor precisa teclar o código de área, o senhor fez isso ?

Um completo imbecil assim me senti.

A voz então continuou :

- Para interurbano o senhor precisa colocar mais quatro moedas de 25 centavos, o senhor deseja que eu faça a ligação ?

Claro , por favor, assim respondi e coloquei as moedas.

Não mais que 10 segundos depois e a voz me retornou.

- Senhor quem está atendendo sua chamada é uma secretária eletrônica , pois como hoje é domingo não há expediente no local , o senhor deseja deixar um recado ?

Imbecil duas vezes, eu havia mesmo me superado.

- Não , é claro, hoje é domingo, não vou deixar recado.

- Coloque então por favor o fone no gancho, vou lhe devolver suas moedas , a AT&T agradece sua chamada.

Coloquei o fone no ganho e 4 moedas me foram devolvidas.

Estava eu de fato em lugar onde serviço era importante .

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O nome da raça

Casos de Advogados

Mal entendidos da vida de hoje